COLUNA - Poema do Recomeço - Por Cristiano da Hora

                        
RECOMEÇO
Quando dei por mim, estava ali caído,
com o coração dilacerado.
Tudo parecia estar perdido,
Vendo tantos planos frustrados.
Com minha vida pelo avesso,
Vi o meu chão, então se acabar.
Tarde demais para me lamentar,
mas nunca é tarde para um recomeço!

Com minhas lágrimas, lavei a alma,
me desprendi do triste passado.
Respirei fundo, mantive a calma
e me apeguei a um novo aliado:
O amor, do qual me abasteço.
Pois quando não tive o dom de perdoar
Foi tarde demais para me lamentar,
mas nunca é tarde para um recomeço!

Meu professor , o mais terrível erro
me agrediu, de mão aberta.
Mas aprendi com os machucados
que é errando que a gente acerta.
Hoje  estou forte, paguei o  preço.
Se aquela pedra me fez tropeçar,
é  tarde demais para me lamentar,
mas nunca é tarde para um recomeço!


Daqui pra frente  me abrirei para o novo!
Sim, sei que o novo eu desconheço
Um novo ano, novos projetos...
Nova morada, novo endereço!
Já estou cansado de tanto chorar
Tarde demais para me lamentar,
mas nunca é tarde para um recomeço!

Quando vi todos os meus sonhos
Se afastarem de mim,
falei comigo: Acabou!
Agora cheguei ao fim!
Mas, daquele dia pra cá
eu disse: Basta! Ser feliz é o que eu mereço!
E aprendi, sabe o que?
Que é tarde demais para se lamentar,
mas nunca é tarde para um recomeço!










COLUNA - Poema do Recomeço - Por Cristiano da Hora COLUNA - Poema do Recomeço - Por Cristiano da Hora Reviewed by VR14 on 21:02 Rating: 5

Destaque

Muita tradição e fé na Semana Santa em Mairi