PUBLICIDADE

Mesmo na seca, agricultor de Ipirá passa de 140 para 300 litros de leite por dia com a assistência técnica do Adapta Sertão



O agricultor José Antônio, proprietário da fazenda Santo Antônio, localizada nas proximidades  do povoado João Velho, município de Ipirá, aumentou sua produção em 110%  durante 16 meses que vem recebendo a assistência técnica do  Projeto Adapta Sertão.

O aumento da produção de leite, contraria a média da região, onde a maioria dos produtores vem tendo dificuldades para alimentar seus animais,  devido a longa estiagem que atinge a Bahia e já é considerada a maior dos últimos 100 anos.

José, recebe mensalmente a visita do técnico do Adapta Sertão, Jocivaldo Basto,  que também é ipirasene, o qual compartilha com ele novos conhecimentos e tecnologias que vem proporcionando o aumento da produção como uma alimentação balanceada para as vacas, melhora no manejo e na estrutura física da propriedade e também a gestão financeira da fazenda, além do incentivo do  plantio da palma adensada, principal alimento dos animais neste período de seca.
 
"Eu tirava cerca de 140 litros de leite por dia, hoje com as mudanças que eu fiz, de manejo, de horário de alimentação, cheguei a tirar 300 litros, isso em apenas poucos meses de mudanças, e quero continuar assim crescendo e aumentado cada vez mais. Minha meta agora é chegar nos 400 litros, e com a ajuda do projeto vai ser possível" Disse José Antônio.

As ações de assistência técnica desenvolvidas pelo Adapta Sertão atendem atualmente 50 produtores, nos municípios de Ipirá, Pé de Serra, Capela do Alto Alegre, Mairi, Capim Grosso, Pintadas e Baixa Grande, tendo como objetivo a implementação do MAIS (Módulo Agroclimático Inteligente e Sustentável), que é dividido em MAIS Leite, MAIS Cordeiro, MAIS poli cultivo e MAIS Pasto com Caatinga. 

O Projeto busca sempre transformar o produtor familiar em um micro empreendedor rural, auxiliando-o no acesso de políticas públicas e programas de governo, a partir de uma experiência construída de baixo para cima, por instituições locais que representam os interesses das famílias produtoras. Além de colocar a disposição da agricultura familiar os recursos de pesquisas científicas e a alocação de recursos técnicos, financeiros e humanos.

Segundo o coordenador do MAIS Leite, o médico veterinário Igor Cezar, o projeto busca tornar os produtores e produtoras resilientes as mudanças climáticas. 

“A gente entende como resiliência climática, que o produtor deve ter segurança hídrica e alimentar, um rebanho estruturado, e ganhando dinheiro. Tudo isso baseado em um componente climático, ou seja, a gente precisa preservar o meio ambiente e recuperar a Caatinga, porque senão a gente não vai conseguir sobreviver as grandes mudanças climáticas que ainda estão por vir ” Disse igor.

A equipe de Agência de Comunicação, VR14 produziu uma matéria em vídeo que será veiculada também na TVE Bahia

Adapta Sertão

O Adapta Sertão é uma coalizão de organizações que atua no semiárido Brasileiro buscando viabilizar estratégias e tecnologias sociais para adaptação a mudança climática da agricultura familiar.    Tem como foco de atuação inicial o interior da Bahia, especificamente, o Território Identidade Bacia Jacuípe e municípios vizinhos.
O Adapta Sertão promove o cooperativismo como forma de desenvolvimento local e aposta no empreendedorismo para fazer frente aos desafios. Sua estratégia começa pela estruturação das propriedades rurais a partir do Modulo Agroecológico Inteligente e Sustentável (MAIS), que foi cuidadosamente desenhado a partir de experimentação e observação prática visando permitir às famílias agricultoras continuar a produzir alimentos também durante as secas anuais ou no caso de uma estiagem prolongada.

O acesso ao crédito, o beneficiamento e processamento adequado dos produtos, o estímulo a comercialização são as outras vertentes trabalhadas no modelo proposto.

Depois de muita pesquisa, experimentação de campo e visitas técnicas nas unidades demonstrativas de agricultores baianos com vários níveis de desenvolvimento e inovação, o Adapta Sertão desenvolveu o MAIS. O MAIS surge de uma reflexão profunda para incluir o novo cenário climático no planejamento da produção agrícola e pecuária da região semiárida. De fato, cada bioma brasileiro está sendo afetado por uma mudança, seja falta ou excesso de chuva, que precisa de tecnologias e estratégias inovadoras de adaptação. 

O MAIS nesta perspectiva é um sistema pioneiro, pois olha à mudança do clima como oportunidade para fortalecer o cooperativismo, a pecuária e a agricultura regional.





 Da redação do VR14
Jorge Henrique, Joyres Lima e Carol Soares



Mesmo na seca, agricultor de Ipirá passa de 140 para 300 litros de leite por dia com a assistência técnica do Adapta Sertão Mesmo na seca, agricultor de Ipirá passa de 140 para 300 litros de leite por dia com a assistência técnica do Adapta Sertão Reviewed by VR14 on 19:43 Rating: 5

Destaque

Muita tradição e fé na Semana Santa em Mairi