Jovens produzem vídeos e resgatam identidade cultural de comunidade quilombola e ribeirinha de Cachoeira (BA)

Como ampliar a voz da comunidade ribeirinha do quilombo Boqueirão, em Cachoeira (BA), incentivar o resgate das tradições culturais e estimular os moradores a refletirem sobre os problemas sociais da região? Essa inquietação motivou estudantes atingidos por um projeto de extensão da Universidade Federal da Bahia (UFBA) a pensarem em formas para dialogar sobre temas elencados pela própria população como igualdade de gênero, racismo, identidade quilombola, cultura popular, sustento econômico local, trabalho infantil e compartilhamento de recursos. Como resultado, surgiu o projeto "Educomciência: produzindo vídeos científicos para e com o público jovem", uma das iniciativas finalistas do Desafio Criativos da Escola 2017.
Antes de colocar os temas propostos em pauta, os alunos – que cursavam entre o 5º e o 8º ano do Ensino Fundamental – foram divididos em grupos e com o apoio da Associação dos Remanescentes de Quilombo, criaram roteiros, decidiram o formato do vídeo, escolherem os cenários e começaram as gravações. Depois de tudo definido, hora de partir para a segunda parte do desafio: luz, câmera e ação!
A equipe do "Educomciência" gravou 17 vídeos, entre campanhas, entrevistas, notícias, radionovelas, crônicas e reportagens, durante os anos de 2017 e 2018. A consequência foi a melhora expressiva na desenvoltura dos participantes, tanto na construção dos textos quanto na forma de se expressar, além da realização de exibições e debates dos vídeos para a comunidade. As produções foram apresentadas, ainda, no Encontro de Jovens Cientistas na UFBA, em novembro de 2017, sendo uma delas premiada com menção honrosa. Recentemente, o trabalho teve continuidade com a elaboração de um vídeo-livro e produção de conteúdos para duas edições do Jornal Salinha Verde e para a WebRádio Jovens Cientistas.
Confira, abaixo, alguns vídeos produzidos pelos alunos:
Belinda de São Francisco, a História de uma Princesa
Mesma origem, destinos diferentes
O que é futebol?
Os caçadores de Aratu
Os pequenos marisqueiros
Sambar é bom

Desafio 2018: inscrições abertas!
Projetos protagonizados por crianças e jovens que estejam transformando a escola ou a comunidade já podem ser inscritos na 4ª edição do Desafio Criativos da Escola. Tanto estudantes quanto educadores podem enviar suas ações até o dia 1º de outubro de 2018. Em 2017, a premiação recebeu 1492 projetos de todas as regiões do Brasil. É possível conhecer os projetos das edições anteriores do Desafio nas redes sociais do programa e em seu site, que possui, entre outras coisas, textos, vídeos e reflexões que podem contribuir com a prática pedagógica dentro e fora da sala de aula.
Sobre o Criativos da Escola
O Criativos da Escola busca encorajar crianças e jovens a transformarem suas realidades,reconhecendo-os como protagonistas de suas próprias histórias de mudança. O protagonismo, a empatia, a criatividade e o trabalho em equipe são os pilares centrais deste programa, que busca envolver e estimular educandos e educadores de diferentes áreas no engajamento e na atuação em suas comunidades. A iniciativa faz parte do Design for Change, movimento global que surgiu na Índia e está presente em 65 países, inspirando mais de 2,2 milhões de crianças e jovens ao redor do mundo.
Sobre o Instituto Alana
O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão "honrar a criança".

Jovens produzem vídeos e resgatam identidade cultural de comunidade quilombola e ribeirinha de Cachoeira (BA) Jovens produzem vídeos e resgatam identidade cultural de comunidade quilombola e ribeirinha de Cachoeira (BA) Reviewed by VR14 on 17:30 Rating: 5

Destaque

Muita tradição e fé na Semana Santa em Mairi