Coluna, Liberdade na prisão; Por Rildo Rios




A liberdade em sentido pleno, jamais será alcançada pela nossa sociedade, pelo menos é o que permeia nos meios e  costumes sociais. Observando que ser livre é agir de acordo o arbítrio e a vontade de cada ser, ela pode provocar uma sensação de estar livre e não depender de ninguém, e nesse ponto surge à incoerência dessa visão da liberdade.

Para Sócrates, “o homem livre é aquele que consegue dominar seus sentimentos, seus pensamentos,  e a si próprio.” Fatos indicam que dominar os sentimentos pode ser um processo de grande dificuldades, posto que, a natureza humana é imprevisível e com identidade  de cada ser. E os pensamentos são incontroláveis pela maioria das pessoas, ainda mais em uma sociedade tão cheia de desigualdades e injustiças.

E outra perspectiva da liberdade, está em conexão som a sensação humana de bem estar e prazer pessoal, pois estar bem as vezes nos priva de ser livre, assim como o prazer humano individual sacrifica uma parte da liberdade. Os humanos deixam de ser livres quando são atraídos pelas amarras do poder, e pensam apenas nos seus desejos e anseios pessoais – é que é natural da humanidade evitar as dores e sentir prazer.

Já para Marx, [...]“não há liberdade sem o mundo material no qual os indivíduos manifestam na prática sua liberdade junto com outras pessoas”...], e nesse viés fica evidenciado que para ser livre, o indivíduo precisa está em constantes conflitos sociais e ideológicos para sobreviver em uma sociedade tão desigual. É que nunca estamos livres para escolher o que almejamos, visto que, para pagar o preço do prazer e das vantagens, somos acorrentados nas grades de quem detém o poder material e social.

A liberdade por ela mesma, já é uma utopia em toda a história humana. Ao preço de ser livres, ocorreram muitas guerras e injustiças humanitárias, e ser livre remota para um caminho estreito e cheio de precipícios, considerando que ao buscar a liberdade, em muitos casos, as pessoas prendem as asas e os sonhos de gente humilde e desprovida de forças para lutar contra as injustiças.Mas a busca por “ser livre” não pode cessar.

Ser livre é um caminho longo e infinito, que precisa ser iluminado pelo esplendor da bondade e da luta pela sobrevivência. A liberdade respira o oxigênio dos sonhos da gente, mesmo que as vezes precisemos negociar uma parte dela para ter um pouco de paz e esperança, por um futuro quase “ livre” das amarras do poder dominante que escraviza e desequilibra a nossa sociedade.

Por Rildo Rios
Coluna, Liberdade na prisão; Por Rildo Rios Coluna, Liberdade na prisão; Por Rildo Rios Reviewed by Jorge on 13:59 Rating: 5

Destaque

Muita tradição e fé na Semana Santa em Mairi