PUBLICIDADE



Professores de Pintadas fazem Moção de Repúdio contra a gestão municipal e secretário de educação diz que eles querem criar instabilidade no governo


Os professores da rede municipal de Pintadas protocolaram na sexta-feira 3 de março, uma Moção de Repúdio ao atual gestor  Batista da Farmácia e ao secretário de educação, Carlos Alberto Almeida, que também é vice-prefeito.


De acordo com o site RCS News, os docentes reivindicam o pagamento do 1/3 de férias, do piso nacional e da progressão horizontal, todos previstos em lei, além de denunciarem perseguição política aos servidores da educação. 

Em relação ao 1/3 de férias, a prefeitura divulgou uma nota em meados de janeiro informando que pagará no prazo previsto em lei. Click e veja.

Sobre a Moção de Repúdio, o secretário de educação Carlos divulgou uma nota na página do Facebook da Prefeitura e disse que os professores estão querendo criar instabilidade na gestão.

 Veja a nota:

Boa noite a todos (as)

Os professores em questão parecem não estar aceitando mesmo é o desafio de assumirem, de fato, a profissão na sala de aula e, portanto,  resolveram tentar criar uma certa instabilidade para a gestão atual.

Causa estranheza  essa matéria tendenciosa de um site sem credibilidade, que foi criado em janeiro desse ano,  com um único objetivo - fazer oposição ao governo Municipal de Pintadas.

 As queixas as quais faz referência essa reportagem, são questões herdadas do governo do PT, que findou em dezembro de 2016.

As perguntas que deixo  são:

As pessoas que lideram a referida moção, estavam em cargo de gestão até dezembro último.

Por que os mesmos não resolveram o problema da progressão da carreira do professor, visto que estavam com o poder em mãos?

 Por que não exigiram que o ex-prefeito do PT pegasse o  piso salarial para os professores  na data correta, razão do protesto de hj?

Quanto a essa última questão, esses líderes de protesto fizeram exatamente o contrário. Enganaram os demais professores para que não fizessem um abaixo assinado à época, protestando contra a ausência do pagamento do piso salarial.

O terço de férias, ao contrário do que diz a reportagem tendenciosa, só estará atrasado a partir de julho deste ano, conforme período aquisitivo .

Ou seja,  os problemas listados por eles, são problemas herdados da gestão petista, que tinha à frente exatamente as pessoas que estão liderando o protesto.
Curioso, não?

CARLOS ALBERTO

 Secretário de Educação de Pintadas

Ainda segundo a reportagem do RCS News, o
s profissionais da educação acusam também a gestão de não pagar a progressão horizontal de carreira, garantida no Plano de Carreira dos Servidores de Educação do município e o Piso Salarial do Magistério Público da Educação Básica Nacional - Lei 11.738/2008.

Na reportagem também diz que os professores denunciam o não cumprimento de alocação dos servidores nos postos de origem previstos no concurso público; a desconsideração de laudos médicos que garantem o deslocamento de docentes da sala de aula para a parte técnica e a locação de profissionais qualificados em funções diferentes das suas especializações.  

A matéria, ainda fala que está acontecendo a antecipação do ingresso dos alunos no ensino fundamental antes dos 6 anos de idade, e isso desrespeita as Diretrizes Curriculares, e segundo o conteúdo pode resultar em conseqüências negativas ao processo de aprendizagem.

Veja a Moção:


Da redação do VR14 Jorge Henrique
com informações e fotos do RCS News





Professores de Pintadas fazem Moção de Repúdio contra a gestão municipal e secretário de educação diz que eles querem criar instabilidade no governo Professores de Pintadas fazem Moção de Repúdio contra a gestão municipal e secretário de educação diz que eles querem criar instabilidade no governo Reviewed by VR14 on 01:06 Rating: 5

Destaque

Muita tradição e fé na Semana Santa em Mairi